"Mais do que ser primeiro, herói é quem sabe dar-se inteiro e dentro de si mesmo ir mais além."

Relatos de Aventuras

Mudança de Instalações

Desde que o Windows Live anunciou que ia encerrar, mudando para este novo WordPress, que não mais escrevi neste espaço…

Não me agrada o aspecto visual, as funcionalidades, por mais que experimente não gosto…

Optei por transferir os conteúdos do espaço antigo para este novo WordPress, apenas para evitar que os conteúdos se perdessem para sempre no ciberespaço, até serem definitivamente eliminados… Assim, podem continuar a ser lidos, por quem quiser.

Por isso, pedia a quem já teve ou tem a amabilidade de me visitar, que me continue a visitar neste outro endereço:

http://ironmena.blogspot.com/

e TAMBÉM EM:

http://roadtolimburg226.blogspot.com/

BEM HAJAM!

Anúncios

Caminho do Norte a Santiago em BTT – IIª Edição

Tudo a postos para o início na próxima 2ª feira, dia 31 de Agosto, de mais um Caminho de Santiago em BTT, em autonomia – o Caminho do Norte, pela variante da Costa (Gijón-Ribadeo-Mondoñedo-Vilalba-Arzúa). Em ano Jacobeu, não podia faltar!
 
Eis o plano de etapas a realizar:
 
Etapa 0 – 29 Agosto (Domingo): Viagem em comboio Sud-Express de Sta. Apolónia a Hendaye (Fronteira França-Espanha).
 
Etapa 1 – 30 Agosto (2ª feira): Encontro com o Peregrino, que vem a pedalar desde Paris. Após: Hendaye-Deba (74kms)
Etapa 2 – 31 Setembro (3ª feira): Deba-Lezama (68kms)
Etapa 3 – 01 Setembro (4ª feira): Lezama-Castro Urdiales (70kms)
Etapa 4 – 02 Setembro (5ª feira): Castro Urdiales-Santander (80kms)
Etapa 5 – 03 Setembro (6ª feira): Santander-La Revilla (78kms)
Etapa 6 – 04 Setembro (Sábado): La Revilla-San Esteban de Leces (79kms)
Etapa 7 – 05 Setembro (Domingo): San Esteban de Leces-Gijón (65kms)
Etapa 8 – 06 Setembro (2ª feira): Gijón-Soto de Luiña (78kms). Encontro durante o dia ou já no albergue com o Grupo 2 (Jorginho, ZB e Rita), que entrou no Caminho próximo de Torrelavega.
Etapa 9 – 07 Setembro (3ª feira): Soto de Luiña- La Caridad (76kms)
Etapa 10 – 08 Setembro (4ª feira): La Caridad-Gontán/Abadín (77kms)
Etapa 11 – 09 Setembro (5ª feira): Gontán-Sobrado dos Monxes (81kms)
Etapa 12 – 10 de Setembro (6ª feira): Sobrado dos Monxes-Santiago de Compostela (61kms)
 
Cá estaremos para contar a história! Voltem sempre!

Next Stage – Probably… the best Triathlon in the World!

Talvez… a lo mehor… maybe…
 
 
The dream is alive!

IRONMAN LIMBURG226 – I LOVED EVERY TERRIBLE MOMENT!

“A maior glória não está em nunca cair, mas sim em levantar-se sempre, depois de uma queda.”

(Confúcio)

 

Já está! Caí e levantei-me várias vezes! Mas adorei cada minuto de dor!

 

Não há palavras para descrever a emoção de cumprir um objectivo há muito estabelecido…

 

Não há palavras para agradecer todo o apoio que recebemos, de grandes amigos, conhecidos, e até desconhecidos…

 

Não há palavras de solidariedade que cheguem para com os meus companheiros de Iron e de outras aventuras e andanças desportivas…

 

Por fim, não há palavras para agradecer ao próprio organizador, Mario Appermans, e respectivos colaboradores, por uma prova perfeita!

 

Vivi cada instante com prazer e natural curiosidade por algo que nunca tinha feito a esta escala; senti cada pequena dor ou desconforto como pequenos “nadas” em algo muito maior; absorvi cada imagem, cada paisagem, cada odor e cada sabor; escutei cada sinal do meu corpo, ignorei cada um dos seus apelos com persistência e determinação…

 

Desfrutei de cada segundo.

 

Nadar no canal foi altamente!

 

Pedalar ao longo do mesmo, num bonito percurso sempre debaixo de sombra, foi fresco e retemperador!

 

Começar a correr pela pista de tartan num complexo desportivo de “província” – de fazer corar de vergonha muitas das nossos supostas “instalações desportivas”- foi um bálsamo; à 1ª passagem pela zona de meta, foi lírico ouvir o speaker anunciar alto e bom som o meu nome e a representação de Portugal!

 

“Bati na parede” nas duas últimas voltas da maratona, mas foi sensacional ser acompanhada pelo Espanhol na recta final da 3ª volta, enquanto ele entrava no funil de meta e eu entrava no corredor adjacente que me levava à 4ª e última volta! O speaker fazia a festa, com o nosso nome e o de Portugal a soarem em cada canto da grande praça cheia de esplanadas!

 

À 4ª e última entrada na recta que conduzia à meta, o Espanhol aparece, já de medalha ao peito, embrulhado numa enorme bandeira de Portugal, e insiste em correr comigo aquele troço até ao funil de meta, enquanto toda a assistência nas esplanadas aplaude! Épico! Entro no corredor enquanto retiro do bolso a pequena bandeira de Portugal que me acompanhou na maratona… O speaker não dá tréguas, e cruzo a meta com um enorme sorriso de felicidade!

 

Se podia viver sem ter feito um IRONMAN?? Poder podia, mas não era a mesma coisa!

 

Algumas curiosidades:

 

Tempo total de prova – 13h16:

 

Natação (3.8kms) – 1h23

Transição – 3:43 (consumo de 1 banana + água)

 

Ciclismo (180kms) – 6h15

Consumo: 3 bidons de água + 2 bidons de isotónica + 4 gels + 1 banana + 5 pastilhas Isostar “High Energy Tablets” + 1 fatia de Panrico

Velocidade média – 29km/h

Transição – 7:57 (consumo de cajus + 1 fatia de Panrico + isotónica + água)

 

Maratona (42.195 kms) – 5h26

Consumo: 3 gels + 1 banana + 5 pastilhas Isostar High Energy + copos de água e coca-cola em TODOS os postos de abastecimento, à ida e à volta.

 

Consumo calórico (apenas Ciclismo e Corrida) – 6713 Kcal

 

Temperatura Média – 29º; acumulado de subidas – 395mts
 

Gráfico do monitor de frequência cardíaca (apenas Ciclismo e Corrida):

 


Da TransPirenaica em BTT, para o Ironman LIMBURG226!

A TransPirenaica em BTT, numa extensão de cerca de 1000kms, ligando Llançà na Catalunha, a Hondarribia no País Basco, não é uma experiência que se possa resumir em poucas linhas, ou atabalhoadamente. Por isso, vou deixar o relato desta experiência para mais tarde… Para quando tiver finalmente concretizado (assim espero) o grande objectivo que me impus neste ano de 2010: terminar uma prova de triatlo na distância de IRONMAN – 226kms!

  

 

 

A ida aos Pirenéus poderia parecer positiva, como preparação para o Ironman… Mas não o é. É uma travessia demasiado desgastante, extremamente exigente do ponto de vista altimétrico, uma verdadeira “loucura” para quem tenha ambições relativas para o Ironman. Mas as minhas ambições para o “meu” Ironman resumem-se a apenas uma: TERMINAR!

 

Completar um Ironman, seja em que tempo for, é por si só imensamente gratificante, compensador, louvável e digno de registo! Digo eu… Pois há quem não saiba sequer o que é um Ironman (IM), e se não fosse a popularidade e as vitórias da Vanessa Fernandes, muitos nem saberiam o que é um Triatlo! O IM não é coisa que muita gente tenha vontade ou até coragem para fazer… Ou loucura, se quisermos!

 

Estou a 4 dias de pôr em prática aquilo para que me tentei preparar desde há vários meses, desde o ano passado… É um misto de sensações que sinto, nesta fase: a sensação de que não estou tão preparada como gostaria ou deveria; a sensação de que não podia ter feito mais, face a determinadas condicionantes que foram surgindo ao longo do tempo; a sensação de que muitas dessas condicionantes foram obstáculos colocados no meu caminho como se de um teste à minha determinação se tratasse… Terei vacilado algumas vezes, reconheço-o, sobretudo muito recentemente. Mas desistir nunca; insistir sempre! Faz parte de mim, não volto costas a um desafio. Mas confesso que não estava à espera de tantas contrariedades, sobretudo as que não se materializaram em obstáculos físicos, mas sim em obstáculos invisíveis, uma certa sensação, fundada ou não, de caminhar sozinha…

 

Mas devo aos meus companheiros de Ironman e a vários amigos inestimáveis, o incentivo e o apoio de estarem sempre presentes. OBRIGADA!

 

Porém, não me quero desdobrar em agradecimentos quando ainda nem concretizei o objectivo! Por isso, deixemos tal atitude, imprescindível, para o momento oportuno – para depois do Ironman!

 

Por agora, resta checar pormenores, verificar tudo, tentar estar o mais tranquila possível nestes dias que antecedem algo que pode parecer não ter importância nenhuma para alguns, mas que para mim é muito importante. Tanto mais que foi a forma mais inconformada e pouco ortodoxa que arranjei para marcar o meu 40º ano de vida!

 

Voltarei, com as melhores notícias possíveis (assim espero) sobre esta participação no Ironman! Deixo, para agora, esta citação que traduz na perfeição o que eu sinto sobre a prova:
  

Ironman is all about overcoming obstacles. The challenges start with your training routine, how you manage your work and family commitments with those long sessions that take a lot of your time and energy. The training is 90% of the Ironman experience and is the biggest challenge. Race day is only the celebration of getting to the start line. You will still be tested during the event, be it physically or logistically, but with your Ironman determination you will find a solution and make it to the finish line.” 

 


Falta 1 mês para o grande desafio!

É verdade, falta 1 mês a contar do dia de hoje. No dia 27 de Junho estaremos a sofrer… e a ter prazer nisso!

  

  

 

O tempo passou muito depressa desde que nos propusemos cumprir este objectivo.. que só será efectivamente cumprido quando cruzarmos a meta daqui a 1 mês, a correr, de gatas ou aos trambolhões!

 

O sonho continua vivo, o entusiasmo presente, o MIND POWER hiper-activo. Dúvidas não há de que seremos, os 3, FINISHERs: 2 Ironmen e uma Ironwoman!

 

O Inverno foi implacável, não nos deixando treinar tanto quanto gostaríamos. Mas implacável é a nossa determinação. Algumas lesões também vieram complicar-nos a vida, mas ficaram pelo caminho, assim esperamos.

 

O caminho para Limburg está aberto, estende-se à nossa frente… faltam só 226kms!

 

Tu vais?? Eu vou! And I’ll brag forever!

 

Segue-se 1 “empeno” de 15 dias em altitude, nos Pirinéus! Arrivederci…


Triatlo de Coimbra

Em vez da crónica sobre a minha participação no Triatlo de Coimbra, apetece-me reproduzir este texto, excelente do já excelente STEPHEN KANITZ:
 
"Seu filho e sua filha de 12 anos mostram enorme interesse em assistir ao filme baseado em um livro que eles estão lendo na escola. Você descobre que o lançamento será daqui a quatro sábados e promete que vai levá-los já na pré-estréia. Será uma tarde muito especial, só vocês. Você ganhou pontos como pai, fez um golaço e tanto. Melhor ainda, agora eles serão os primeiros a contar para os colegas de escola como o filme se desenrola, serão o centro da roda e heróis por um dia, graças a você. E eles começam a sonhar com o grande dia. Três semanas se passam e na quinta-feira anterior à pré-estréia seus colegas de trabalho o convidam para um jogo de futebol seguido de churrasco. Seu chefe vai estar lá, jogando com a turma. Um amigo se prontifica a buscá-lo às 10 horas do sábado. Você aceita sem pestanejar. Ser convidado para jogar com o chefe é muito importante para a sua carreira, que por sinal não anda muito bem. Seria uma boa oportunidade para fazer média. Você nem se lembrou do compromisso anterior com os filhos.

No sábado, às 10 horas em ponto, seu amigo está à porta, quando seu filho, absolutamente estarrecido, lhe pergunta: "Pai, você esqueceu o nosso filme?".

O que você faz numa situação dessas?

1. Você diz que não irá ao futebol. Pede mil desculpas ao amigo, diz que não poderá jogar conforme o prometido, pede que ele explique o ocorrido ao seu chefe, e fim de papo.

2. Você pede mil desculpas aos seus filhos, explica a situação, diz que o chefe vai estar lá, que você os levará no sábado que vem, com direito a pipoca em dobro. E tudo se resolverá a contento, sem prejuízo de ninguém.

Qual das duas opções você escolhe? Se respondeu que é a primeira, lamento dizer que você está mentindo. Todo mundo escolhe a segunda opção. Afinal, é sua carreira que poderia estar em jogo. Você bem que podia se tornar mais amigo da turma do trabalho, você está inseguro. Aliás, quem não está?

O que quero discutir aqui é a razão por trás da sua escolha, o raciocínio que determinou a decisão de protelar o cinema com os filhos. Você fez essa opção porque no fundo sabe que seus filhos o amam. E, porque o amam, eles entenderão. Sem dúvida, eles ficarão desapontados, mas não para sempre. Afinal, você conseguiu conciliar a agenda de cada um, só vai demorar mais um pouquinho.

Porém, com esse tipo de raciocínio, você acaba colocando as pessoas que o amam para trás. Justamente as pessoas que nos amam é que acabamos decepcionando, vítimas dos nossos erros do dia-a-dia. Que recompensa é essa que dispensamos àqueles que nos amam e que nos são leais? Por quanto tempo eles continuarão nos amando diante de atitudes assim?

Eu não tenho a menor dúvida de que você escolheu jogar futebol porque sabe muito bem que seu chefe não o ama. Muito pelo contrário, ele não está nem aí para você. Ele pode substituí-lo na hora que quiser, sem um pingo de remorso. Você aceitou jogar com os colegas para que eles gostem um pouco mais de você. E com os seus filhos, que já o adoram, você aproveitou para negociar. Eles não vão dizer nada, vão entender, mas sentirão calados uma punhalada nas costas. A lógica diz que deveríamos ser leais com as pessoas que nos amam, mas na prática fazemos justamente o contrário.

Se acha que ninguém o ama ou que não é amado o suficiente, talvez isso ocorra porque você não tem sido leal com as pessoas a quem ama. Achar que elas serão sempre compreensivas e razoáveis é seguramente o caminho para o desastre. Seus filhos acreditarão em você na próxima vez que lhes fizer uma promessa? Eles aprenderão o significado da palavra lealdade?

Seu chefe vai esquecê-lo totalmente um mês depois de você se aposentar, bem como os seus colegas de trabalho. Os únicos que jamais vão esquecê-lo são seus filhos, pela sua lealdade ou pelas pequenas decepções e infidelidades cometidas por você ao longo da vida."