"Mais do que ser primeiro, herói é quem sabe dar-se inteiro e dentro de si mesmo ir mais além."

Archive for Novembro, 2009

Choque civilizacional…

Vá lá uma pessoa perceber estas coisas…
 
Fiz um XPD/ARWC inteirinho sem sofrer qualquer beliscadura… Em quase 900 kms de BTT, caminhada/corrida, kayak, patins, rappel/slide/tirolesa , canyonning, etc., etc., actividades que encerram riscos potenciais, e nada me aconteceu…
 
Em contrapartida, uma semana depois, ainda em plena recuperação, sou "entalada" nas portas de saída do Metro e fracturo uma costela!!! Ele há coisas…
 
Em suma: está-se melhor e mais seguro em ambientes agrestes e longe da chamada civilização, que no meio da modernidade!
 
O mais penoso é que agora sou obrigada a descansar… Nada de corridas, treinos, provas e afins… Esperam-me cerca de 3 semanas a 1 mês no estaleiro.
 
Trabalhador sofre…!!!
 
 
Anúncios

ARWC mostra um Portugal inédito

Gostaria de aqui reproduzir as palavras da atleta brasileira Luli Cox ("the lady in pink") da equipa AKSA Brasil/Kailash, dos amigos Rafa e António de la Rosa, palavras que encontrei no seu blog e que tão bem demonstram o que o ARWC potencia num país como Portugal:
 
"A prova faz a gente passar por lugares maravilhosos. Cidadezinhas com casas todas em pedra, bem medievais, parece que a gente está em algum filme, alguma mega producão. Campos verdes cheios de oliveiras, casinhas simpáticas com roseiras na frente, charme europeu, muitos cachorros latem, os gatinhos só olham. Céu estrelado. Muita névoa. Tudo mágico. As vezes sofremos, muitas outras rimos. Estamos em Portugal. Estamos no Mundial! Sonho?"
 
Pois é, será que nós portugueses nos apercebemos disto, no n/ próprio país?? Muitas vezes não… e é por isso que ficamos a pensar e a sorrir quando um estrangeiro o explica desta forma tão simples e tão magnífica.
 
Há que dar o valor ao que temos, ao que somos, como povo e individualmente, há que dar valor a nós próprios!
 
A nostalgia do pós-prova está a atingir-me… Quero voltar! 😉
 
Fiquem bem!

QUANDO ME AMEI DE VERDADE…

Não resisto a publicar aqui um texto que li num dos meus blogs favoritos, por me identificar tanto com ele (o texto e o blog), cuja autoria vim a descobrir ser de KIM McMILLEN. Leiam e reflictam…

"Quando me amei de verdade, compreendi que em qualquer circunstância, eu estava no lugar certo, na hora certa, no momento exacto. E então, pude relaxar.
Hoje sei que isso tem nome… Auto-estima.

Quando me amei de verdade, pude perceber que minha angústia, o meu sofrimento emocional, não passam de um sinal de que estou a ir contra as minhas verdades.
Hoje sei que isso é… Autenticidade.

Quando me amei de verdade, parei de desejar que a minha vida fosse diferente e comecei a ver que tudo o que acontece contribui para o meu crescimento.
Hoje chamo a isso… Amadurecimento.

Quando me amei de verdade, comecei a perceber como é ofensivo tentar forçar alguma situação ou alguém apenas para concretizar aquilo que desejo, mesmo sabendo que não é este o momento ou que a pessoa não está preparada, inclusive eu próprio.
Hoje sei que o nome disso é… Respeito.

Quando me amei de verdade comecei a livrar-me de tudo que não fosse saudável… Pessoas, tarefas, tudo e qualquer coisa que me pusesse para baixo. De início a minha razão chamou essa atitude de egoísmo.
Hoje sei que se chama… Amor-próprio.

Quando me amei de verdade, deixei de temer o meu tempo livre e desisti de fazer grandes planos, abandonei os projectos megalómanos de futuro.
Hoje faço o que acho certo, o que gosto, quando quero e no meu próprio ritmo.
Hoje sei que isso é… Simplicidade.

Quando me amei de verdade, desisti de querer sempre ter razão e, com isso, errei muitas menos vezes.
Hoje descobri a… Humildade.

Quando me amei de verdade percebi que a minha mente pode atormentar-me e decepcionar-me. Mas quando a coloco a serviço do meu coração, ela torna-se uma grande e valiosa aliada. Tudo isto é… Saber viver!

Quando me amei de verdade, desisti de ficar revivendo o passado e de me preocupar com o futuro. Agora mantenho-me no presente, que é onde a vida acontece.
Hoje vivo um dia de cada vez.

Isso é… Plenitude."


Adventure Racing World Championship – Portugal XPD Race 09

Curta mensagem na 1ª pessoa – enquanto tento recuperar algum do sono perdido – para dizer que o Team GreenLand foi uma das 3 equipas portuguesas a terminar este Campeonato do Mundo de Corridas de Aventura.

Enquanto procuramos normalizar, descansar, alongar, apenas tenho palavras para dizer que é enormemente gratificante completar uma prova destas… Nada do que alguma vez fizemos se pode comparar ao grau de dureza e exigência técnica e física que esta prova teve.

Seguir-se-á um relato mais pormenorizado nos próximos dias, mas enquanto isso apenas desejo partilhar a emoção de cruzar o pórtico de meta montado na praia do Baleal em Peniche, ontem dia 14 de Novembro por volta das 12h. O espumante aberto, bebido e esguichado foi espalhado com alegria e efusão por todos quantos estavam presentes, e que sempre acarinharam a equipa do NARIZ VERMELHO.

Agora é tempo de descansar. Balanços não é preciso fazer… Porque é um enorme privilégio conviver com as melhores equipas do mundo, ter como companheiros de equipa pessoas como o Roque, o Batista e o Velez, e ter como assistentes pessoas como a Esmeralda e o José Silva.

Bem hajam, e até muito em breve, com mais relatos da participação neste ARWC.


Hoje faço 40 anos!

Verdade!
 
Hoje faço 40 anos! E estou muito feliz por fazer 40! Não trocava os meus 40 anos pelos 20 por nada deste mundo!
 
Sinto-me muito bem na minha pele, em paz comigo própria e com a vida. Sinto-me feliz e satisfeita com o que tenho. Tenho aquilo que mais preciso: amizade, amor, paz e tranquilidade e saúde. Faço aquilo que mais gosto. O que mais valorizo não são os bens materiais… Esses são vãos e não preenchem lacunas que muita gente tem e pensa poder preencher com esses valores.
 
Mas o mais importante são os valores morais. E esses não me faltam, é por eles que me guio.
 
Assim, comemoro com gosto os meus 40 anos e tenciono continuar a ser feliz!
 
Sejam felizes também!