"Mais do que ser primeiro, herói é quem sabe dar-se inteiro e dentro de si mesmo ir mais além."

Triatlo do Fundão + Subida Covilhã/Torre

 
No Sábado passado, 01 de Agosto, teve lugar o popular Triatlo do Fundão. É uma prova que conta sempre com numerosos atletas, além de contar entre algumas figuras destacadas do panorama triatlético nacional, com alguns triatletas oriundos desta localidade, como é o caso do Bruno Pais. Bruno Pais, nado e criado no Fundão, nunca perdeu um Triatlo na sua terra natal, e este já vai com 7 edições!
 
Não tão bem esteve a nossa Vanessa Fernandes, que voltou a acusar a lesão de que vem sofrendo ultimamente, tendo sido obrigada a desistir.
 
A natação desta prova decorria na barragem da Capinha, a qual dista cerca de 22 kms da cidade do Fundão, distância essa que é logo após percorrida de bicicleta durante o segmento de ciclismo.
 
A natação foi algo confusa para o meu gosto, nunca me consegui afastar, fosse para que lado fosse, de outros nadadores, pelo que muitas das minhas braçadas acabavam por encontrar obstáculos, como sejam as braços e pernas dos adversários! Efectivamente, estava difícil nadar numa barragem tão pequena, com pouco caudal (chegámos a tocar com as mãos no fundo, junto à margem!), sendo que para cumprir a distância as bóias obrigavam a ir e vir quase ao mesmo sítio e só depois então nos dirigíamos para a saída. Tal ziguezague fez com que os atletas andassem sempre muito aglomerados e não muito longe de uma margem.
 
O segmento de ciclismo era acessível, em piso bom, e em linha – uma variação nas provas de triatlo – não fosse o vento forte que se fazia sentir e que muito fustigou e fatigou os atletas nas suas bicicletas.
 
A corrida era cumprida em 2 voltas dentro da cidade, com algumas descidas e uma pequena subida. No fim da 1ª volta quis confirmar que eram apenas 2 voltas e perguntei a um atleta que seguia a meu lado se assim era. Qual não é o meu espanto quando vi que era o "nosso" João Garcia! Ele anuíu que sim, e andei ali ao lado mais um pouco, até que tive de lhe perguntar onde era a entrada para a 2ª volta, e ele disse "é por aqui mesmo, nós também vamos para lá"! Logo após, e porque seguia mais lento, tive de o deixar um pouco para trás. O João Garcia sempre foi um aficionado de Triatlo, fazendo de vez em quando umas aparições conforme o tempo que tem disponível.
 
Terminada a prova, e conforme já havia combinado com uns amigos, aguardei que um deles me fosse buscar ao Fundão e seguimos depois para a Covilhã. A ideia era subir à Torre de bicicleta no dia seguinte. Felizmente o tempo no Domingo acordou bem mais simpático do que no dia anterior!
 
A subida, à saída da Covilhã, conta com cerca de 20 kms, sendo os troços mais difíceis e inclinados desde a saída da Covilhã até perto do Centro de Limpeza de Neve, nas Penhas da Saúde. A partir daí o mais difícil passou, mas a partir daí também estamos muito mais cansados! No fim, já todas as subidas nos parecem igualmente difíceis!!!
 
Foram para nós 25 kms sempre a subir, desde a parte baixa da Covilhã, em que atingimos 1720 mts de acumulado. Os carretos da bicicleta não chegavam para tornar a provação um pouco mais suave… Mas cumpriu-se o objectivo! E tanta conversa houve pelo meio (eu e a Lena, pois os homens tinham-se pirado!) que nem demos conta dos kms e da subida ser tão difícil! Também um pouco depois da passagem pelo Centro de Limpeza de Neve, tivemos a agradável companhia de um bttista pertencente a um grupo de Gouveia e que esperava pelos companheiros que nunca mais vinham! Fomos subindo os 3 juntos e ele disse-nos que quando quisessemos andar na Serra era só aparecer ou contactar que o grupo teria todo o gosto na nossa companhia! Valeu!
 
Chegados à Torre e reagrupados de novo, tirámos as fotos da praxe e começámos a descida alucinante de volta à Covilhã. Só na descida nos apercebemos do que tínhamos subido e do grau de inclinação das malvadas! Mãos, pescoço e nuca doíam da postura hirta que tomávamos na descida, a mínima distracção podia ter consequências graves… Mas tudo correu bem e descemos em cerca de meia hora o que tínhamos levado cerca de 3 horas a subir!
 
Refira-se que no caminho, tanto para cima como para baixo, cruzámo-nos com vários triatletas que tinham permanecido também por aquelas bandas após a prova para subirem à Torre de bicicleta no dia seguinte! Para quem tem dúvidas, os triatletas são muito más companhias! Não regulam lá muito bem… E como isto é contagioso… pega-se!
 

One response

  1. Ricardo

    Olá Filomena :)Foi realmente um fim de semana bem passado. Então e essas fotos!? Tenho mesmo de começar a levar uma máquina comigo eheheh.Beijinhos e boas pedaladas (e braçadas e corridas lol),Ricardo "funride" Nunes

    07/08/2009 às 22:14

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s