"Mais do que ser primeiro, herói é quem sabe dar-se inteiro e dentro de si mesmo ir mais além."

Acção de Iniciação às Águas Bravas – Ribeira de Seda (Mora)


No passado fim de semana de 18 e 19 de Junho teve lugar em Cabeção (Mora) uma acção de iniciação às águas bravas, em colaboração com os Amigos da Natureza de Cabeção (ANC) e com apoio da Federeção Portuguesa de Canoagem (FPC).
 
No Sábado logo pelas 9h30 teve lugar a parte teórica onde se abordaram aspectos como material e acessórios, classificação dos rios, obstáculos em águas bravas, leitura de rápidos e algumas noções de segurança.
 
À tarde seguimos para um dos rápidos escolhidos pelo formador (Raúl Estrela, do www.canoagemonline.com e www.okkayk.com) e que tinha acesso por terra, para fazermos a sessão prática. Primeiro começámos todos juntos (15 participantes) com alguns exercícios em água parada. Nesses exercícios focou-se a técnica de pagaiada e o controlo do kayak com apoios baixos e pagaiadas circulares. Notou-se logo o à vontade de alguns dos colegas nos kayaks… Eram praticantes de kayak-polo e pareciam brincar com os kayaks e pagaias! Que inveja!
 
No domingo, deixamos os carros no final junto à “Ponte da Amizade” e fomos para o local da partida, onde se deu início à descida. Chegando ao primeiro rápido, saímos todos para observar as várias passagens possíveis e ver em detalhe a passagem pelo tobogan lateral onde todos iam descer. O Raúl, depois de chamar a atenção para os vários obstáculos e dificuldades que poderíamos encontrar naquele rápido, fez uma descida de demonstração para todos verem primeiro antes de descerem. Depois descemos um a um. Uns safaram-se melhor, outros viraram, mas ninguém se magoou e a corda de segurança foi usada duas ou três vezes por precaução e para ajudar no resgate. Mas nunca houve perigo além da inexperiência e ansiedade de alguns… (eu, inclusive!)
 
Neste primeiro rápido foi onde perdemos mais tempo, mas valeu a pena. Nos outros, que eram mais simples tudo foi mais expedito. O último rápido também é um pouco mais complicado não pela dificuldade técnica, mas sim porque a falta de acessos por terra dificulta a montagem de uma segurança adequada. O rápido era o mais longo, mas correu tudo bem no final… ou quase tudo! Um dos companheiros virou e o kayak encheu de água e submergiu! Ficou ali "apeado" (que é como quem diz, a lutar para não ser levado pela corrente!) e depois aparecemos nós (3 num sit-on-top, mais 1 kayak a reboque!!!) e ajudámos a resgatar o kayak e a vazá-lo para poder prosseguir.
 
Na chegada à “Ponte da Amizade” fizemos uma pausa para retemperar as forças e depois ainda houve tempo para uma pequena sessão de iniciação à esquimotagem. Ficámos todos cheios de vontade de participar num futuro workshop de esquimotagem que o Raúl venha a monitorizar/promover!
 
Graças ao José Aleixo dos Amigos da Natureza de Cabeção, pudemos descobrir este pequeno tesouro para a iniciação às águas bravas em pleno Alto Alentejo, onde de Junho a Agosto, devido às descargas da Barragem do Maranhão (para regadio), é possível ter um caudal adequado para a prática das águas bravas.

Foi um fim de semana fantástico e ficou uma grande vontade de repetir!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s