"Mais do que ser primeiro, herói é quem sabe dar-se inteiro e dentro de si mesmo ir mais além."

“Mediocrity knows nothing but itself (…)”

 
"A mediocridade só se conhece a si própria (…)" – Sir Arthur Conan Doyle
 
Há episódios, acontecimentos, que têm o poder obscuro de nos despir de qualquer encanto, de nos tirar qualquer ilusão boa, de transformar o maior optimismo e positivismo, em algo negro e descabido ou impróprio. Foi isso que me aconteceu esta tarde.
 
Eu até posso dizer que sou uma felizarda: sinto-me bastante realizada; faço tudo o que gosto, por mais esquisito ou difícil que possa parecer; tento ajudar os outros de forma altruísta e procuro ser melhor pessoa a cada dia; prezo a amizade e sinto-me reciprocamente prezada; tento viver cada segundo como se fosse o último, e neste sentido norteio-me por 2 máximas, entre outras, de 2 personagens que muito aprecio e que me servem de exemplo. As maximas: "Dormir é para os totós" (Dean Karnazes) e "Every second counts" (Lance Armstrong)!!!
 
Por tudo isto, cada vez que um "golpe" alheio a estes princípios me é desferido, isso abala esta estrutura em que baseio a minha vida e em que acredito. No fundo é uma questão de fé. Fé no ser humano e na vida. Mas há quem não tenha fé nenhuma e teça ideias pré-concebidas, vulgo preconceitos, sobre determinadas coisas, gestos e atitudes e que ache que tudo isto são tolices que não se enquadram na vida real… Se mais pessoas tivessem mais fé, talvez o dito mundo real fosse melhor…
 
Então hoje, sofri um desses golpes. E como qualquer estrutura, ela abanou… mas não caíu! Tem construção anti-sísmica! Mas os seus alicerces, compostos de princípios, fé e altruísmo, foram significativamente afectados. O trabalho de reparação já começou, e este post é um desses trabalhos paliativos.
 
Quando duvidam das nossas boas intenções, quando fazem juízos de valor a priori, sem procurar apurar a origem dos factos antes de formar uma conclusão, que teimam em não abandonar mesmo após as explicações; quando uma posição de suposta superioridade serve de veículo à prepotência, então a tal estrutura fica muito frágil…
 
MAS… o que não me mata fortalece-me! Eu preocupo-me mais com a minha consciência do que com aquilo que os outros pensam de mim. Pelo menos tento… Por isso, sigo nas minhas convicções, apesar da desilusão inicial. A prepotência e o autoritarismo só me provocam pena, mais do que raiva…
 
Pena de quem tem estas atitudes, pois não conhecem outra realidade. Vivem no seu mundo regulado pelas regras que eles próprios querem impor aos outros, esquecendo que cada pessoa tem os seus princípios e pratica aquilo que acha correcto. O que não é correcto é JULGAR sem conhecer, sem escutar. Considero que essas pessoas são pobres de espírito, muitas vezes frustradas, e assim não reconhecem valor senão a si próprios, não vêem qualidades senão na sua própria pessoa. Vivem limitadas na sua realidade e qualquer coisa toma logo umas dimensões completamente desproporcionadas.
 
Dentro das "4 paredes" onde tenho de viver uma grande parte da minha vida, a minha mente e a minha imaginação ultrapassa as paredes. A minha mente não vive ali… Só o tempo estritamente necessário para cumprir a minha função com o brio que gosto de colocar na minha paixão – as línguas estrangeiras! Mas vejo MUITO para além do écran do computador! A minha mente VOA para cenários muito distantes, para locais míticos que sonho visitar, de preferência em bicicleta ou fora dos parâmetros ditos normais. O SONHO comanda a minha vida! Mas são sonhos que conto concretizar, pois mais uma vez – IMPOSSIBLE IS NOTHING! E "não há distâncias que a nossa mente não possa percorrer".
 
Por isso sinto pena… pena de quem olha para o écran e só vê letras e números; pena de quem não sonha; pena de quem passa a vida inteira a fingir um papel, a ser um grande actor no seu próprio filme. Mas nas horas mais difíceis, vem um duplo fazer as cenas arriscadas, porque pode ser "perigoso" ou trazer algum desconforto ou desvantagem face aos seus pares. Não não, abdicar da vidinha normal?? Nem pensar em concretizar velhos sonhos à custa de menos "normalidade"… Ná, isso é muito arriscado e o que vão as pessoas pensar???
 
O que eu penso?? ONE LIFE. LIVE IT!!!
 
See you in my next dream coming true!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s