"Mais do que ser primeiro, herói é quem sabe dar-se inteiro e dentro de si mesmo ir mais além."

Mais Recente

Mudança de Instalações

Desde que o Windows Live anunciou que ia encerrar, mudando para este novo WordPress, que não mais escrevi neste espaço…

Não me agrada o aspecto visual, as funcionalidades, por mais que experimente não gosto…

Optei por transferir os conteúdos do espaço antigo para este novo WordPress, apenas para evitar que os conteúdos se perdessem para sempre no ciberespaço, até serem definitivamente eliminados… Assim, podem continuar a ser lidos, por quem quiser.

Por isso, pedia a quem já teve ou tem a amabilidade de me visitar, que me continue a visitar neste outro endereço:

http://ironmena.blogspot.com/

e TAMBÉM EM:

http://roadtolimburg226.blogspot.com/

BEM HAJAM!

Caminhando…

Onde vais tu perguntou o caminho ao caminhante?
Vou até aonde a Vida me levar.
E para onde te leva Vida?
Para o Momento, a simplicidade, o Viver a Vida Presente e entregue ao Instante.

Mas então o tempo, o que fazes tu com ele?
Escolhi saltar fora do tempo, pois ele me distrai de Viver intensamente o Momento.

E o que têm esse Momento?
Têm a Vida, a Alegria e por fim a Sabedoria sobre o tempo.

Sobre o Tempo?
Sim, o Momento sabe como lidar com o tempo, como Observar e como utilizar os pensamentos que nos projectam para fora do Momento. Isto porque o tempo não existe para Ser vivido, mas sim para ser compreendido.

Escolho Viver o Momento, pois é nele que a Vida se encontra, fora do tempo. Não procuro o resultado fora do Momento, mas sim dentro. Contemplo o sorriso de uma Criança, o brilho no Olhar de um adulto, o raio de Sol que me visita, tudo isto e muito mais, no Momento.

Não escolho o destino, nem tão pouco a meta, todos eles estão para fora do Presente. Não escolho a chegada nem mesmo o limite, escolho o Caminho Presente este sempre Momento, é nele que Vivo o instante Mágico, que é Viver fora do Tempo.

Porque a Vida é simplesmente o Sempre Aqui e Agora, mais uma vez o Momento, onde tudo acontece. Onde a Vida se auto reconhece.

O tempo é a roupa que escolho usar, o aroma que quero experimentar, sem apego deixo-o passar, fluir como uma pena solta ao vento que em mim me visita com o seu olhar. Mas é apenas isso um pensamento que eu posso ou não acreditar, em que posso ou não escolher apoiar.
Criando assim a Vida que em mim me permitiu sonhar, voar mais alto, e com isso abraçar, imaginar e concretizar, a Vida que em mim, a Vida que “Agora” acreditou em se manifestar.

Caminho do Norte a Santiago em BTT – IIª Edição

Tudo a postos para o início na próxima 2ª feira, dia 31 de Agosto, de mais um Caminho de Santiago em BTT, em autonomia – o Caminho do Norte, pela variante da Costa (Gijón-Ribadeo-Mondoñedo-Vilalba-Arzúa). Em ano Jacobeu, não podia faltar!
 
Eis o plano de etapas a realizar:
 
Etapa 0 – 29 Agosto (Domingo): Viagem em comboio Sud-Express de Sta. Apolónia a Hendaye (Fronteira França-Espanha).
 
Etapa 1 – 30 Agosto (2ª feira): Encontro com o Peregrino, que vem a pedalar desde Paris. Após: Hendaye-Deba (74kms)
Etapa 2 – 31 Setembro (3ª feira): Deba-Lezama (68kms)
Etapa 3 – 01 Setembro (4ª feira): Lezama-Castro Urdiales (70kms)
Etapa 4 – 02 Setembro (5ª feira): Castro Urdiales-Santander (80kms)
Etapa 5 – 03 Setembro (6ª feira): Santander-La Revilla (78kms)
Etapa 6 – 04 Setembro (Sábado): La Revilla-San Esteban de Leces (79kms)
Etapa 7 – 05 Setembro (Domingo): San Esteban de Leces-Gijón (65kms)
Etapa 8 – 06 Setembro (2ª feira): Gijón-Soto de Luiña (78kms). Encontro durante o dia ou já no albergue com o Grupo 2 (Jorginho, ZB e Rita), que entrou no Caminho próximo de Torrelavega.
Etapa 9 – 07 Setembro (3ª feira): Soto de Luiña- La Caridad (76kms)
Etapa 10 – 08 Setembro (4ª feira): La Caridad-Gontán/Abadín (77kms)
Etapa 11 – 09 Setembro (5ª feira): Gontán-Sobrado dos Monxes (81kms)
Etapa 12 – 10 de Setembro (6ª feira): Sobrado dos Monxes-Santiago de Compostela (61kms)
 
Cá estaremos para contar a história! Voltem sempre!

“A vida é como uma grande corrida de bicicleta…”

"A vida é como uma grande corrida de bicicleta – cuja meta é cumprir a lenda Pessoal.

Na largada, estamos juntos – compartilhando camaradagem e entusiasmo. Mas, à medida que a corrida se desenvolve, a alegria inicial cede lugar aos verdadeiros desafios: o cansaço, a monotonia, as dúvidas sobre a própria capacidade.

Reparamos que alguns amigos desistiram do desafio – ainda estão correndo, mas apenas por que não podem parar no meio de uma estrada; eles são numerosos, pedalam ao lado do carro de apoio, conversam entre si, e cumprem uma obrigação.

Terminamos por nos distanciar deles; e então somos obrigados a enfrentar a solidão, as surpresas com as curvas desconhecidas, os problemas com a bicicleta. E, ao cabo de algum tempo, começamos a nos perguntar se vale a pena tanto esforço.

Sim, vale a pena. É só não desistir." (PAULO COELHO)

“Não deixem nada por dizer…”

Para OUVIR, VER e PENSAR…
 

"A minha vida é do tamanho dos meus sonhos."

 

Saudade…

Eu tenho saudades de tudo que marcou a minha vida!
 
Quando vejo retratos, quando sinto cheiros, quando escuto uma voz, quando me lembro do passado… eu sinto saudades…
Sinto saudades dos amigos que nunca mais vi, de pessoas com quem não mais falei ou cruzei…
Sinto saudades de minha infância, do meu primeiro amor, do meu segundo, do terceiro, do penúltimo e daqueles que ainda vou vir a ter, se Deus quiser…
Sinto saudades do presente, que não aproveitei de todo, lembrando do passado e apostando no futuro…
Sinto saudades do futuro, que se idealizado provavelmente não será do jeito que eu penso que vai ser…
Sinto saudades de quem me deixou e de quem eu deixei… de quem disse que viria e nem apareceu… de quem apareceu correndo, sem me conhecer direito… de quem nunca vou ter oportunidade de conhecer.
Sinto saudades dos que se foram e de quem não me despedi direito; daqueles que não tiveram como me dizer “adeus”… de gente que passou na calçada contrária da minha vida e que só enxerguei de vislumbre; de coisas que eu tive e de coisas que nem sei se existiram, mas se soubesse, decerto gostaria de experimentar…
Sinto saudades de coisas sérias, de coisas hilariantes, de casos, de experiências…
Sinto saudades dos livros que li e que me fizeram viajar, dos discos que ouvi e que me fizeram sonhar, das coisas que vivi e das que deixei passar, sem curtir na totalidade, para resgatar alguma coisa que nem sei o que é e nem onde perdi…

  

Vejo o mundo girando e penso que poderia estar sentindo saudades em Japonês, em Russo, em Italiano, em Inglês, mas que a minha saudade só fala Português, embora, lá no fundo, possa ser poliglota.
Aliás, dizem que se costuma usar sempre a língua pátria espontaneamente, quando estamos desesperados, para contar dinheiro, fazer amor e declarar sentimentos fortes, seja lá em que lugar do mundo estejamos.
Eu acredito que um simples “I miss you”, ou seja lá como possamos traduzir saudade em outra língua, nunca terá a mesma força e significado da nossa palavrinha.
Talvez não exprima, correctamente, a imensa falta que sentimos de coisas ou pessoas queridas.
E é por isso que eu tenho mais saudades…
Porque encontrei uma palavra para usar todas as vezes em que sinto este aperto no peito, meio nostálgico, meio gostoso, mas que funciona melhor do que um sinal vital quando se quer falar de vida e de sentimentos.
Ela é a prova inequívoca de que somos sensíveis, de que amamos muito o que tivemos e lamentamos as coisas boas que perdemos ao longo da nossa existência…
 
(Maria Eugênia – Doce Deleite)
 

 

 

SENTIR SAUDADE É SINAL DE QUE SE ESTÁ VIVO!

 

 

 
 

Next Stage – Probably… the best Triathlon in the World!

Talvez… a lo mehor… maybe…
 
 
The dream is alive!